Lacen-PA promove palestra sobre saúde e sexualidade femininas

POR ROBERTA VILANOVA · 15 DE MARÇO DE 2019

Uma palestra sobre “Saúde e Sexualidade nas etapas de vida da Mulher: Questões Relevantes”, proferida pela médica ginecologista e obstetra  Sandra Helena Moraes leite, marcou, nesta quinta-feira (14), no auditório do Laboratório Central do Estado (Lacen-PA), as comemorações pelo Dia Internacional da Mulher, transcorrido no dia 8 de março.

O evento, que reuniu cerca de 60 servidores, foi organizado pelo Serviço de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalhador (SASST), Coordenação da Qualidade e Biossegurança e Comissão de Eventos. A abertura foi feita pela coordenadora do SASST, Micheline Ramos, que apresentou a palestrante e informou que o evento é mais uma iniciativa do que preconiza o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

Com vasta experiência em Saúde Pública, por ser médica concursada do Estado e Município de Belém e ter exercido diversas cargos de gestão, além de chamar a atenção das mulheres para os cuidados com a saúde sexual e reprodutiva em todas as etapas da vida, Sandra apontou os principais desafios que a mulher enfrenta para ter acesso à informação e aos serviços e fazer valer os direitos previstos em diversas Políticas Públicas no Brasil.

Inicialmente, Sandra fez uma reflexão sobre o dia 8 de março, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1975, como Dia Internacional da Mulher, em homenagem às mulheres que lutaram por melhores condições de trabalho e outros direitos. “Precisamos reconhecer a luta e a vitória de muitas mulheres antes de nós, pois as conquistas são resultado de muita luta”, afirmou a médica. Ela também apresentou a linha do tempo das principais conquistas femininas, ressaltando que “é importante conhecer a história para compreendermos a dinâmica do mundo”.

Ela disse que o Brasil tem muitas diretrizes para as mulheres, no entanto, a maioria da população feminina não tem acesso aos serviços previstos nessas diretrizes.

Câncer de colo do útero – No que tange à Saúde da Mulher, há ainda muita dificuldade de acesso ao pré-natal, planejamento familiar e exame preventivo do câncer do colo do útero (PCCU) e diagnóstico precoce do câncer de mama, além de outros serviços, como assistência no climatério.

Sandra ressaltou a importância da vacina contra o HPV, que está disponível para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, uma vez que o câncer de colo do útero é causado pela infecção persistente de alguns tipos desse vírus chamados oncogênicos.  E informou que o tabagismo é um fator de risco para o câncer de colo do útero e que aumenta até dez vezes as chances de derrame cerebral e infarto do miocárdio.

Para finalizar, Sandra comentou sobre a sexualidade, anatomia e fisiologia femininas e sobre o quanto é importante que a mulher conheça o seu corpo e cuide bem dele, fazendo exames anuais, conversando com seu médico, tirando as suas dúvidas, deixando a vergonha e o preconceito de lado.  E isso deve começar desde a infância e adolescência, a partir de diálogos entre mães e filhas para que a mulher cresça mais segura e disposta a lutar por seus direitos em todos os aspectos da vida, incluindo o enfrentamento de todos os tipos de violência.

Após a palestra a Comissão de Eventos do Lacen-PA, coordenada pela servidora Rosa Virgínia, realizou um sorteio e distribuiu brindes para todas as servidoras, e Bernadete Oliveira, da Coordenação da Qualidade e Biossegurança, fez a entrega de um brinde para palestrante convidada.

Texto e Fotos: Roberta Vilanova

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *