Sespa instala estações disseminadoras para combate à dengue

Agente coloca a armadilha em local protegido do sol

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) iniciou, nesta quarta-feira (23), a segunda etapa do Projeto de Instalação de Estações Disseminadoras de Larvicida (EDs) para combate ao mosquito da dengue, nos condomínios Aspha Ville, em Ananindeua, e Cidade Jardim II, em Belém.

O projeto está sendo desenvolvido pela Coordenação do Programa Estadual de Controle da Dengue e pela Divisão de Entomologia do Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) com apoio das Secretarias Municipais de Saúde de Belém (Sesma) e Ananindeua (Sesau). A finalidade é reduzir os focos de mosquitos transmissores da Dengue, Zica e Chikungunya, uma vez que a estação ajuda a impedir que o mosquito nasça.

O larvicida é passado no pano com pincel

As EDs são confeccionadas com um recipiente de plástico, um pedaço de pano, água e 5g do larvicida Pyriproxyfen. O larvicida em pó é diluído na água até formar uma pasta para ser distribuída com um pincel homogeneamente sobre o pano que está preso ao redor da boca do recipiente com água.

O objetivo da armadilha é fazer o mosquito pousar no pano, ficar com o produto nas patas e levar para os criadouros. O produto age sobre as larvas, que mesmo que cheguem à fase de pupa, não se transformam em mosquitos capazes de se reproduzir. Além disso, o Pyriproxyfen afeta o mosquito adulto e reduz a sua capacidade de pôr ovos e ainda evita que 80% dos ovos postos se transformem em larva.

Segundo a coordenadora estadual de Controle da Dengue, Aline Carneiro, foram instaladas 35 Eds no Aspha Ville e 55 no Cidade Jardim II, sendo uma ED para cada dez imóveis “Agora, vamos fazer o acompanhamento semanal dessas armadilhas. Esse trabalho será feito pelos agentes e supervisores de endemias da Sespa e Sesma, que vão observar o nível de água e de larvicida e completar a quantidade se for necessário”, disse a coordenadora.

Equipe da Sespa e Sesau que atuou no Aspha Ville

Importante lembrar que na primeira etapa, que foi encerrada na semana passada, foram coletados, nos condomínios, ovos de mosquitos antes da instalação das EDs para comparação futura.

De acordo com a coordenadora de Entomologia do Lacen-PA, Paoola Vieira, o trabalho de análise dos ovos, para saber a quantidade e se estão ou não infectados, ainda está em andamento. “Daqui a dois ou três meses, vamos fazer nova coleta de ovos para saber se já houve impacto nos focos devido à instalação das estações disseminadoras”,  informou a entomologista.

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:14.0pt;
mso-bidi-font-size:11.0pt;
font-family:”Times New Roman”,”serif”;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;
mso-fareast-language:EN-US;}

Você pode gostar...